• QuercusTV
  • Contactos

Vamos aprender a fazer uma caixa ninho?

As caixas ninho para aves são uma forma de ajudar estes animais, principalmente na sua época de reprodução. Construções simples de fazer, oferecem abrigo a várias espécies para criarem a sua descendência, enquanto nos permitem observá-las de mais perto, nos nossos jardins e quintais. Além disso, certas espécies de aves são muito úteis para nós, como os chapins e melros, que se alimentam preferencialmente de insetos (por exemplo, lagartas e escaravelhos) e moluscos (como caracóis e lesmas), ou as corujas, que se alimentam de roedores, como os ratos. Sem estes predadores por perto, as populações de insetos, moluscos e roedores podem tomar proporções descontroladas e tornarem-se pragas agrícolas ou mesmo vetores de doenças contagiosas. Antes de decidirmos construir uma caixa ninho, há alguns aspetos a ter em conta: que tipo de aves queremos atrair? Que espécies existem na nossa zona? Que materiais de construção e locais de colocação dos ninhos temos à nossa disposição? Estes pontos são extremamente importantes, pois são o que irá definir que tipo de caixa construir. Como devem calcular, o tamanho do ninho de uma coruja nada terá de parecido com a de um melro! Devemos ter em conta não só o tamanho da caixa em si, mas também do orifício de entrada, uma vez que diferentes diâmetros poderão atrair diferentes espécies. No exemplo do vídeo, é escolhido um orifício de 28mm, adequado para deixar entrar espécies mais pequenas, como o chapim-real e o chapim-azul, deixando de fora outras, como pardais-domésticos e, claro, predadores. O local de colocação da caixa também é de extrema importância, e devemos ter uma ideia de onde a iremos deixar antes de a construir. Se a quisermos colocar num local menos resguardado, como numa árvore, devemos ter em atenção que estará sujeita ao impacto de chuvas, ventos fortes e sol direto, e teremos que fazer simples adaptações, como escolher uma madeira mais resistentes (pinho ou carvalho, por exemplo) e com, no mínimo, 1,5cm de espessura, criar um telhado inclinado e fazer pequenos furos na base, para permitir que a água da chuva escorra, e impermeabilizar a zona de ligação entre as costas e o telhado, usando, por exemplo, uma câmara de ar furada afixada com agrafador manual ou pregos. No exemplo, as costas do ninho permitem tanto pregá-lo a uma parede, como fazer furos para passar uma corda ou arame para a pendurar numa árvore. Outros aspetos relevantes a ter em conta são a presença de predadores (devemos garantir que o ninho não fica num local de fácil acesso a outros animais, como gatos), a altura (no mínimo 3 metros) e a orientação (deve ficar virada para sul, evitando o vento dominante). No que toca à decoração da caixa, devemos ter a certeza que não utilizamos materiais que possam ser tóxicos ou de alguma forma ferir as aves. Colocar, por exemplo, um pequeno poleiro à entrada, pode ser bonito, mas facilitará a entrada de predadores. Após a colocação da caixa, resta-nos aguardar que as aves selvagens comecem a ocupar os ninhos. Teremos de resistir à tentação de espreitá-los, de forma a não afugentar os animais, já que a perturbação poderá levar alguns pais a abandonar ovos ou mesmo crias. No final da época de reprodução, quando já todos os animais tiverem abandonado o ninho (normalmente, será em agosto) podemos proceder à limpeza do ninho, sem utilizar detergentes abrasivos, e voltar a colocá-lo, esperando que os nossos amigos selvagens nos visitem novamente, no ano seguinte! Antes de construíres a tua própria caixa ninho, visita estes sites para conheceres os pormenores de construção e colocação da estrutura mais apropriada para cada espécie: [PT] https://www.lpn.pt/uploads/fotos_artigos/files/ficha_caixas_ninho.pdf [PT] http://www.owleducation.org/wp-content/uploads/2019/07/ANEXO-7.-Como-fazer-uma-caixa-ninho.pdf [EN] https://www.rspb.org.uk/birds-and-wildlife/advice/how-you-can-help-birds/nestboxes/

Fechar video